Todas as empresas e organizações passam por momentos de altos e baixos. Dentro disso estão os conflitos, que são absolutamente normais em qualquer empreendimento. Mas para que isso não se torne um grande problema, é preciso aprender a fazer a gestão de conflitos. Dessa forma os contratempos podem ser facilmente administrados e resolvidos.

A gestão de conflitos pode ter um grande impacto nas organizações, tanto para o bem quanto para o mal.

Se você sabe gerir bem as situações adversas que aparecem no dia a dia, dificilmente elas irão evoluir para problemas mais graves, como a alta rotatividade no Recursos Humanos, por exemplo.

Mas, se você ainda não conhece muito sobre o assunto e ficou um pouco preocupado, vou te explicar um pouco como funciona esse processo.

Como fazer a gestão de conflitos?

Para fazer a gestão de conflitos você precisa seguir alguns passos que vão te ajudar a solucionar tudo muito mais rapidamente.

O que define se o conflito vai ser prejudicial ou não para a empresa, será o que você vai fazer para solucioná-lo. Muitas vezes, o conflito poderia ser facilmente gerenciado se alguns passos fossem implementados em sua corporação. Entretanto, nem sempre os gestores estão preparados para lidar com essas situações.

Isso deve ser trabalhado primeiramente na inteligência emocional e, além disso, é necessário entender a sociologia das organizações, que pode colocar definitivamente a empresa no trilho do crescimento.

Identificando o conflito

Uma das primeiras coisas que você deve fazer para ter uma boa gestão de conflitos, é identificar que eles existem.

Parece um pouco óbvio o que eu acabei de te dizer, mas muitos gestores sofrem por não perceberem que alguns conflitos estão acontecendo e que estão, muitas vezes, impregnados na cultura da empresa.

Por isso, saber que o conflito existe e onde exatamente ele está, é imprescindível para dar os primeiros passos rumo à resolução.

A eficácia de todo esse processo vai depender também do quanto de atenção você dá para isso. É algo que deve ser feito constantemente, até mesmo para que a dificuldade seja cada vez menor. Afinal, quanto maior o afinco com que você faz essa análise, menos conflitos graves sua organização terá.

Veja de onde está surgindo o conflito

Depois de ter identificado que o conflito já existe, tente perceber de onde ele está surgindo. Tudo tem uma causa e, em algumas vezes, ela não é totalmente aparente.

Você precisa ir a fundo se quiser realmente saber onde está o cerne do problema. Em alguns casos, a situação ainda está totalmente remediável. Em outros, a situação já pode estar mais grave.

O tempo de percepção dos conflitos vai refletir diretamente nessa estatística.

Se você parar para pensar agora em sua organização, a maioria dos conflitos são facilmente resolvidos?

Ou considera que já está precisando tratar conflitos mais graves?

Esse é um exercício que você pode começar a fazer para identificar a situação atual da empresa.

Sendo assim, para realizar uma boa gestão de conflitos, você deve analisar com calma de onde está vindo cada um deles.

Então, vá até a raiz das situações.

Muitos conflitos podem estar vindo de uma situação só. E alguns deles podem desencadear outros novos conflitos. Quanto mais profunda e rapidamente você puder notá-los, melhor será para evitar que uma bola de neve se instale em sua organização.

Em muitos casos, os conflitos parecem estar vindo de uma questão somente profissional, mas na verdade, estão vindo de raízes emocionais. É preciso ir diretamente no centro do problema para garantir que você está indo de encontro a uma solução.

Só é possível tratar com eficácia as causas e efeitos, se realmente se sabe de onde está partindo cada conflito e cada detalhe é importante para indicar de onde os conflitos estão surgindo. Preste bastante atenção para identificar corretamente qual é a raiz de cada um. É uma tarefa que exige bastante atenção.

Classifique os tipos de conflito

Existem conflitos de ordem emocional e psicológica, conflitos existenciais, conflitos profissionais e diversos outros tipos.

Nas organizações, o que mais se observa são os conflitos profissionais. Mas você sabia que eles podem estar interligados com outros tipos de conflito?

Pensar na qualidade de vida de todos os colaboradores também pode ser uma forma de evitar conflitos profissionais.

Decida o que fazer com o conflito

Os conflitos podem ser administrados de variadas formas. Decida se vai delegar, adiar, resolver no momento ou ignorar o conflito.

Todas essas são formas de fazer a gestão de conflitos, mesmo que em alguns dos casos a decisão do momento seja simplesmente ignorá-los.

Na gestão de conflitos nas organizações, controlar o emocional e usar mais a razão será um grande diferencial para alcançar a solução mais rapidamente.

Muitos conflitos parecem muito grandes aos olhos, quando você enxerga com uma visão limitada. Às vezes, o melhor é se retirar da situação para perceber aquilo como um todo e saber ao certo qual atitude tomar.

Além disso, conflitos entre colaboradores, por exemplo, são comuns e acontecem em várias empresas. Mas o gestor deve ter bom senso para resolver tudo da melhor maneira possível. Isso para evitar que esses conflitos internos reflitam também no atendimento aos clientes.

Colocar-se no lugar das pessoas e entender pelo que elas estão passando e sentindo também é uma ótima ferramenta de resolução de conflitos. A empatia e a comunicação não violenta podem resolver grande parte dos problemas que surgem nas organizações.

Comece a reparar nisso a partir de hoje.

Dicas rápidas para realizar uma excelente gestão de conflitos nas organizações

  • Entenda que as pessoas são diferentes de você, tanto os colaboradores, quanto clientes e fornecedores
  • Ao se comunicar, crie conexões com as pessoas e use a empatia para se colocar no lugar de cada uma delas
  • Tente escutar, ver e sentir o que a pessoa sentiu naquele momento

Agora que você já tem uma boa ideia de como fazer a gestão de conflitos nas organizações, é hora de começar a colocar em prática!

Faça anotações diariamente de todos o conflitos que existem em seu dia a dia, que você não tinha percebido, mas que agora vê. Você vai se surpreender com a mudança de hábito que pode acontecer em sua vida e que vai refletir profundamente no trabalho.

Quando você notar esses conflitos, comece a classificá-los, seguindo o passo a passo que foi passado aqui.

Uma grande diferença pode surgir na sua gestão e você reparará o quanto isso pode ser gratificante. Se os seus colaboradores ficam satisfeitos, seus clientes ficam também.

É sempre uma reação em cadeia.

Além de uma mudança organizacional nos processos, com certeza pode ser o início de uma mudança de vida. Basta recondicionar o mindset e claro, levar isso também para outras áreas da sua vida.